TVs e Monitores para games – como escolher?

TVs e Monitores para games – como escolher?

Fugindo das armadilhas do marketing

Montei meu PC para jogos através do método científico. Pode pensar que eu sou muito chato. Para mim, foi um bom processo de estudo para que eu compreendesse o que significa a sopa de letrinhas de cada um dos fabricantes de peças para PC, e como efetivamente ter o melhor custo benefício, evitando as armadilhas de marketing.

Quando era moleque, eu caí na maior armadilha de marketing dos games: os Bits. Todos na escola comparavam a qualidade dos seus videogames pelos Bits que tinham. “Meu Nintendo é 8 Bits!”, “Bah! o meu Mega Drive é 16 bits!”. Vimos o surgimento da geração 32 bits, e então veio o Nintendo 64 para marcar o território como um videogame de ponta – afinal, ele é 64 e, intuitivamente, muito melhor do que qualquer outro aparelho que apresente números menores! A partir disso, os próprios departamentos de marketing decidiram parar de contar, porque não era esse o aspecto da arquitetura de CPU que estava fazendo a diferença, mas um conjunto de outros fatores. Caso contrário, o XBOX ficaria bem para trás nessa competição, já que seu processador era de 32 bits

Ao entrar no universo dos PCs, me deparei com as mesmas comparações numéricas, mas em uma escala epicamente maior: tamanho, arquitetura e frequência da RAM; chipset de placa mãe, slots para memórias, quantidade de canais da placa de áudio integrada, LAN, armazenamento, conectores e tipos de USB; Geração, arquitetura e quantidade de núcleos do processador central; Watts da fonte, certificação, PFC e estrutura modular; …milímetros das ventoinhas! Tantas coisas que não fazemos a mínima ideia de como combinar corretamente e, por isso, muitos de nós prefere comprar o computador montado em alguma loja, deixando na mão dos especialistas a responsabilidade de concretizar nossos sonhos de consumo.

Algo que não dá para deixar na mão do especialista é o seu monitor/ TV. Se você não sabe nada sobre esses aparelhos, provavelmente irá até a loja e perguntará para o vendedor: “qual é o melhor para jogos?”. A maior parte desses profissionais tem conhecimento técnico profundo em apenas uma coisa: VENDER. Os verdadeiramente bons te convencerão que a TV de Tubo de raios catódicos ainda pode ser a melhor para você. Para que você não fique mais na mão do vendedor ou do cruel time de marketing do fabricante, aprenda a escolher e exigir seu monitor/ TV adequado. Você precisa estar atento a três elementos principais.

 

Monitores e TVs: como escolher?

Não adianta ter uma máquina super potente para jogos e um output que não é capaz de mostrar toda essa qualidade para você. É o que você precisa ver com carinho e paciência antes de decidir o que comprar:

1) Definição da tela:
Esqueça o “HD”, “Ultra HD” e outros termos de marketing. Veja o tamanho da tela em pixels.

1024×768 tende a ser o HD

1920×1080 tende a ser full HD

3840×2160 tende a ser ultra HD 4K.

Escrevo que “tende a ser” porque existem tamanhos muito diferentes disponíveis no mercado. Qual é a resolução do aparelho que estará ligado na TV? Quais dimensões ele suporta? Verifique isso para tomar a decisão correta.

2) Frequência de atualização:
Definição de tela alta é ótimo para imagens paradas. Se tem movimento, a frequência de atualização da tela precisa ser alta também. São como quadros de animação: 10 quadros por segundo é quase um stop-motion ruim, 30 é o que muito de nos vê na tv e 60 quadros por segundo é o teórico máximo que nosso cérebro entende. Portanto, procure TVs/ Monitores que tenham 60hz de frequência ou mais. Esteja seguro também que os softwares que vc vai rodar, e o aparelho, conseguem transmitir imagens a 60FPS (frames por segundo/ quadros por segundo)

3) tempo de resposta dos pixels:
Vários monitores (gamer) descrevem em suas páginas de venda, ali no meio da salada de números e siglas, o termo “1ms”. Isso significa que cada pixel da tela demora um micro segundo para ir de totalmente branco para totalmente preto (ligado ao máximo até desligado ao máximo). Quanto maior essa velocidade, mais fluido é o movimento na tela. Caso contrário, pode-se ver sombras no movimento.

As fabricas tem feito uma sacanagem enorme aqui. Muitos consumidores não olham isso. Mas aqueles que olham (os gamers) são mal informados e veem só o valor “1ms”, e não querem o “10ms”. Portanto, o fabricante decidiu mudar a escala: ao invés de preto ao branco, de um tom de cinza a outro tom de cinza. Aí, é claro, os tempos diminuem. É como comparar um carro que, em 3 segundos, chegou de 0 a 100 Km/h, com outro que fez também 3 segundos… de 0 a 10 Km/h. E tudo bem, porque o consumidor só olha o tempo.
Se estiver escrito, no manual, “1ms G2G” é pq é gray to gray, e é sacanagem. Quase todos sacaneiam.

De qualquer modo, procure aqui taxas inferiores a 5, e vc estará bem. Se for G2G, garanta o 1ms. Afinal, se mesmo roubando ele não consegue ter um valor baixo, é porque o produto é ruim mesmo.

 

Onde encontrar essas informações?

No geral, o vendedor da loja não saberá te informar isso. É preciso olhar no manual de instruções do aparelho, geralmente disponível no site do fabricante.

O que você precisa ver nas lojas é o preço. E, claro, se quiser um monitor/ TV top mesmo, prepare para desembolsar R$ 3500 para cima.

Compartilhe:

Enviar um comentário!

Error
Cannot GET /js/stats.php