• O que é interatividade – parte 3 (final)

    Iteração e Interação Rafaeli e Sudweeks (1997), estudando a comunicação mediada por computador (CMC) afirmam que a interatividade não é um processo exclusivo da CMC, mas sim presente em todo processo de comunicação. Para os autores, “interatividade descreve e prescreve os modos com os quais uma interação conversacional, enquanto um processo iterativo, leva a uma […]

    Leia mais!

  • O que é interatividade – parte 2

    A magia da interação A professora e pesquisadora Lúcia Santaella, uma das principais divulgadoras do campo da semiótica do Brasil, sintetiza a interatividade pela interface da seguinte maneira: “Por intermédio de instrumentos materiais (tela, mouse, teclado) e imateriais (linguagem de comando), o receptor transforma-se em usuário e organiza sua navegação como quiser” (SANTAELLA, 2004, p. 163) […]

    Leia mais!

  • Jogos são arte? – Parte 4 (final)

    São máquinas de produzir sentido. Tudo depende do game designer. Gonzalo Frasca também defende o game designer como um “autor” de uma obra digital (FRASCA, 2003). O exemplo que dá está em “The Sims”, onde é possível controlar seu avatar para ter um relacionamento com um outro do mesmo sexo. Note: o código do jogo foi […]

    Leia mais!

  • Cozinha Digital – Artigo Comunicon 2014

    Acesse aqui: http://www.espm.br/download/Anais_Comunicon_2014/gts/gt_seis/GT06_MAURO_BERIMBAU.pdf. Neste texto, apresentamos a gastronomia como um objeto de consumo simbólico, simulado através de jogos digitais. Esses símbolos se apresentam dentro da cultura contemporânea, onde a mídia povoa o repertório do sujeito contemporâneo e lhe dá as referências de ser. Os jogos digitais conseguem, enquanto mídias com uma estrutura discursiva particular, promover […]

    Leia mais!